Artigo: Apocalipse zumbi: da matança à integração

Resumo: Este artigo analisa os filmes: Meu namorado é um zumbi (EUA, 2013), de Jonathan Levine; e Todo mundo quase morto (EUA, 2004), de Edgar Wright, considerando os conceitos de “tradição” e “tradução”, conforme Stuart Hall, e “comunidade” e “individualidade”, discutidos por Zygmunt Bauman. No estudo, também serão usados os postulados de Linda Hutcheon sobre paródia, já que a representação do apocalipse zumbi, em ambos os filmes, está relacionada à integração, e não à aniquilação do outro.

Para conhecer a Revista Acadêmica Todas as Musas, acesse o link em:

 

http://www.todasasmusas.org/

 

Para mais informações, escreva para:

todasasmusas@gmail.com

 

Conheça também nosso INSTAGRAM

 

 

Confira os artigos no site da Editora gratuitamente ou peça a sua edição impressa.

#editoratodasasmusas #todasasmusasnosinspiram#filmesdeterror #umdrinknoinferno #timburton#zumbi #atividadeparanormal #thesecretofkells#davidcronenberg #pennydreadful #zedocaixao#williamblake #meunamoradoeumzumbi

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s