Insulamento, pulsão e ordem em Todos os Nomes (José Saramago), de Jean Pierre Chauvin

Publicado em 1997, dois anos após Ensaio sobre a Cegueira, Todos os nomes poderia ser considerado um romance atípico, na trajetória de José Saramago. Estruturado segundo a ótica detalhista de um personagem – este, sem os atributos tradicionais de herói romanesco -, conduz o leitor para um universo micro-realista, em que o isolamento do senhor José parece estar em relação direta com a rígida noção de ordem e mecanismo hierárquico da Conservatória onde trabalha.
Leia na íntegra em:
Visite:
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s