Quem tem medo da confusão entre as artes?, de Ivair Reinaldim



O artigo analisa as bases teóricas e ideológicas do crítico Michael Fried ao caracterizar o minimalismo como “não-arte”, devido a sua ênfase na teatralidade. Teatro, nesse contexto, é compreendido como essência da noção romântica de Gesamtkunstwerke, situação combatida pela crítica modernista, por considerar a diluição das fronteiras entre as áreas de competência de cada arte um fator de decadência.


Ivair Reinaldim é Doutor em Artes Visuais, professor e Chefe do Departamento de Artes do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj) da Universidade Candido Mendes.

Leia na íntegra em:
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s