Paixão e barbárie: Eurípides e Pasolini, de Lílian Lopondo e Maria Luiza Guarnieri Atik


O objetivo deste trabalho é examinar como o cineasta italiano Píer Paolo Pasolini recontextualiza, por meio da linguagem fílmica, na passagem dos anos 60 para os 70, a tragédia Medeia, de Eurípides,e quais as estratégias discursivas de que se vale para operar a transcodificação do hipotexto num novo paradigma.

Lílian Lopondo
Professora doutora em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo. Docente do Programa de Pós-Graduação em Literatura Portuguesa da Universidade de São Paulo e da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Maria Luiza Guarnieri Atik
Professora doutora em Literatura Francesa pela Universidade de São Paulo. Docente do Programa de Pós-Graduação em letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Leia na íntegra em:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s